A maioria dos brasileiro não trocam de celular há dois anos e três meses, segundo pesquisa


Quando foi a última vez que você trocou de celular? Se faz mais de 24 meses, saiba que você não está sozinho nessa. Os consumidores brasileiros estão, em média, há dois anos e três meses com o seu smartphone atual.


A afirmação é de um estudo realizado pela empresa de pesquisa de mercado Opinion Box em parceria com o site Mobile Time. O objetivo do levantamento analisar o cenário mercadológico de smartphones em serviço no país. Ao todo foram 2.177 pessoas entre os dias 9 e 16 de junho. A margem de erro é de 2,2 pontos percentuais e o grau de confiança é de 95%.

Os dados indicam que existe uma diferença no tempo de permanência com o aparelho em relação ao seu sistema operacional. A média dos smartphones com Android embarcado está na casa dos dois anos e dois meses.


Já os proprietários de modelos da Apple costumam ficar um tempo é maior com o smartphone. A média dos usuários de iOS está em torno de dois anos e sete meses. Esse indicador pode representar uma maior durabilidade e reutilização dos aparelhos da marca da maça.

O levantamento concluiu ainda que quanto mais jovem a pessoa, menos tempo ela fica com o aparelho. Não foram encontradas diferenças significativas na divisão por gênero. Confira a seguir a separação dos grupos por idade:


16 a 29 anos de idade — 2 anos e 2 meses e meio;

30 a 49 anos de idade — 2 anos e 3 meses;

50 anos de idade ou mais — 2 anos e 3 meses e meio.


A pesquisa também trouxe números sobre as marcas mais usadas pelos consumidores brasileiros. Para a surpresa de poucos, a Samsung representa 43% da base de smartphones em atividade no Brasil hoje, uma liderança folgada à frente dos demais fabricantes.


A Motorola aparece em segundo lugar, com 22%, seguida pela Apple (13%). Chama a atenção a quarta posição da chinesa Xiaomi (10%), à frente de outras marcas que estão há muito mais tempo no Brasil, como a LG (7%), que tende a diminuir ainda mais sua participação diante da recente decisão de parar de produzir celulares.

Os números apontam ainda que 77% dos smartphones ativos no Brasil foram comprados e 23%, presenteados. Entre homens, a proporção que comprou o aparelho é de 83%, enquanto entre mulheres é menor (72%). Entre os que compraram seu celular, 90% adquiriram o aparelho novo e 10%, usado.


Também há diferença por classe social: nas classes A e B, 82% declaram ter comprado seu smartphone atual; ante 76% dos usuários das classes C, D e E. Nesse ponto, não há diferença relevante por faixa etária.

No grupo que foi presenteado com um smartphone, 71% ganhou o aparelho novo e 29%, usado. Há variação relevante por gênero: enquanto 25% das mulheres receberam o aparelho usado, o percentual é de 35% entre homens. Por faixa etária, a grande diferença está no grupo com 50 anos ou mais: 38% ganharam um smartphone usado.


A classe social também é determinante: nas classes A e B, 17% foram presenteados com um aparelho de segunda mão, enquanto nas classes C, D e E a proporção sobe para 31%.


Fonte: Tudo Celular


0 comentário