Brasileiros criam código bidimensional mais seguro e com maior armazenamento que o QR Code



Códigos bidimensionais, como o QR Code, representaram um grande avanço em relação aos códigos de barras. Enquanto a codificação mais antiga permite cerca de vinte caracteres numéricos, códigos 2D podem armazenar mais de 7 mil caracteres numéricos, possibilitando pagamentos digitais, acesso a websites e outras funções.


Evoluindo essa tecnologia, a startup brasileira DRIC apresenta uma proposta que deve fornecer ainda mais capacidade de armazenamento, além de maior segurança de dados e eficiência. Trata-se do DRIC Code, um código bidimensional capaz de armazenar diferentes formatos de dados em um arquivo de apenas 100 kilobytes.


A inovação funciona através de um algoritmo que converte binários com uma função estatística chamada método de Monte Carlo. O processo de codificação pode ser feito através de qualquer computador em questão de segundos e a decodificação pode ser feita com qualquer smartphone de forma instantânea e sem conexão com a internet.


O DRIC Code, além de ágil, é seguro — a ferramenta permite que o conteúdo seja criptografado e limite o acesso a um indivíduo, e-mail, número de celular ou determinado dispositivo, permitindo transações financeiras digitais e tráfego de dados privativos. DRIC é a sigla adaptada de “reprodução digital de imagens criptografadas”.


Com apenas 5,3 centímetros quadrados, o código pode ser impresso em qualquer superfície plana para armazenar arquivos de PDF, músicas, vídeos e diversos outros. Na área citada, cerca de 2,1 GB de dados podem ser armazenados, mas os criadores dizem que será possível expandir essa capacidade a até incríveis 72 GB.


Os desenvolvedores já testaram a plataforma em cerca de 20 mil arquivos com quarenta extensões diferentes (.pdf, .mp3, .jpg, .zip e outros). De acordo com os resultados, não há qualquer risco de perda de dados na codificação e descodificação, o que deve oferecer ainda mais confiabilidade aos adeptos.


Repercutindo além das fronteiras brasileiras, a startup recebeu um aporte de US$ 3,5 milhões de investidores dos Estados Unidos. O DRIC Code já possui patentes em diversos países e está em fase de avaliação de modelo de negócios e preço de uso da tecnologia.


Fonte: Tudo Celular

0 comentário