Para disputar com os helicópteros no Brasil, Azul começa a investir em carros voadores


Seja terra, mar, espaço ou céu, a humanidade sempre encontra um jeito de buscar dominar esses ambientes com suas novas tecnologias. Pois agora, a Azul Linhas Aéreas, além dos tradicionais aviões, está fazendo investimentos de mais de US$ 1 bilhão para trazer carros voadores que competirão com os helicópteros —um grande mercado nacional— para viagens de trajetórias curtas.


Essa perspectiva se abre com uma parceria estratégica com a fabricante alemã Lilium, e deve trazer 220 das aeronaves elétricas eVTOL, com previsão de começar a operar em 2025. Com autonomia para 240 quilômetros e espaço para seis passageiros mais o piloto, as viagens nesses veículos pretendem conectar centros econômicos, regiões metropolitanas, cidades turísticas, entre outros.


Entre as rotas em avaliação, estão Campinas a Santos, Campinas a Campos de Jordão, São Paulo a São José dos Campos e Rio de Janeiro a Búzios.

Demanda também não parece ser um problema para a estrutura do veículo elétricos: seus 36 motores podem ser recarregados em até meia hora. A ideia é trazer também alguns pontos de abastecimento para o Brasil.


É possível também que as passagens sejam bem mais baratas que as dos helicópteros também. Se 100 quilômetros custam US$ 400 (mais de R$ 2 mil) por cabeça nos helicópteros, no eVTOL esse valor equivaleria a US$ 100 (mais de R$ 500) para cada pessoa. Isso também sem contar que os veículos não poluem o meio ambiente, nem são tão barulhentos.

O investimento bilionário, quando dividido pelo número de aeronaves, também se mostra mais eficiente que a concorrências dos helicópteros — cuja unidade custa entre US$ 7 milhões a US$ 9 milhões —, enquanto o custo de cada "carro voador" está saindo na faixa dos R$ 5 milhões.

A ideia é também, com o tempo, investir em novos modelos com capacidades de até 16 pessoas e que tornem as viagens mais acessíveis ainda.


Fonte: Tudo Celular




0 comentário