Xiaomi Mi Mix Fold: o primeiro aparelho dobrável da Xiaomi é apresentado


Depois de um longo hiato de cerca de dois anos, a Xiaomi resgatou em seu segundo dia de evento a aclamada linha Mi Mix com a chegada do Mi Mix Fold, seu primeiro aparelho dobrável. O novo celular mira no mercado premium com especificações robustas que incluem Snapdragon 888 e até 16 GB de RAM, estreiam a primeira câmera com lente líquida do mercado de smartphones e traz de volta os esforços da marca no segmento de chips com o Surge C1, dedicado a turbinar o desempenho de câmeras do Mi Mix Fold.


O Mi Mix Fold segue o visto nos rivais Galaxy Z Fold 2 da Samsung e Mate X2 da Huawei ao adotar um design dobrável com tela interna, com elementos visuais vistos em aparelhos mais antigos da Xiaomi, incluindo o Mi 10T e o Mi 10 Ultra. A parte frontal conta com tela similar ao do Galaxy Z Fold 2, com proporção esticada de 27:9 e um furo para a câmera frontal, alinhado por aqui no canto superior direito do painel.


Na parte de trás, o painel traseiro de vidro tem coloração preta e acabamento brilhante, com o módulo triplo de câmeras no canto superior esquerdo, havendo destaque para o sensor telemacro de 8 MP com zoom de 30x no topo. O dispositivo receberá ainda uma edição especial com traseira em cerâmica com pequenos símbolos, e detalhes na dobradiça e no logo do celular em dourado.


O dobrável da Xiaomi conta com tela externa AMOLED de 6,52 polegadas com proporção 27:9, resolução de 2520 x 840 pixels e taxa de atualização de 90 Hz. O painel traz ainda taxa de amostragem de toque de 180 Hz, prometendo navegação suave pela interface, suporte a HDR10+ e pico de brilho de respeitáveis 900 Nits.


A tela interna, no entanto, é o principal destaque, contando com 8,01 polegadas e resolução Quad HD+ de 2480 x 1860 pixels. A taxa de atualização é de apenas 60 Hz, mas há amostragem de toque de 120 Hz, suporte a HDR10+ e Dolby Vision e pico de brilho de 900 nits. Diferente do aparelho dobrável da Samsung, não há nenhum furo ou entalhe por aqui, proporcionando uma experiência mais imersiva. Alinhado aos rivais, a Xiaomi promete que o Mi Mix Fold é capaz de ser dobrado até 200.000 vezes.


O Mi Mix Fold chega ao mercado equipado com o poderoso Qualcomm Snapdragon 888, acompanhado de 12 GB ou 16 GB de RAM LPPDR5 e 256 GB ou 512 GB de armazenamento UFS 3.1. Para manter o chip sob controle, a fabricante adotou o que chama de "butterfly cooling", uma combinação de uma grande câmara de vapor que se estende pelos dois lados do smartphone com gel térmico e inúmeras folhas de grafite para melhor dissipar o calor.


De acordo com a Xiaomi, o sistema avançado não lida apenas com as temperaturas do Snapdragon 888, como foi pensado ainda para gerenciar o calor gerado pelas antenas 5G e pelo sistema de carregamento rápido, que atinge os 67 W de potência. O novo chip da empresa, confirmado na semana passada, também pode fazer parte do conjunto atendido pelo resfriamento.De acordo com a Xiaomi, o sistema avançado não lida apenas com as temperaturas do Snapdragon 888, como foi pensado ainda para gerenciar o calor gerado pelas antenas 5G e pelo sistema de carregamento rápido, que atinge os 67 W de potência. O novo chip da empresa, confirmado na semana passada, também pode fazer parte do conjunto atendido pelo resfriamento.


O conjunto de câmeras, que apresenta um design similar ao utilizado no Mi 10S, é um dos maiores destaques do aparelho. O Mi Mix Fold é o primeiro do mercado a contar com a tecnologia de lentes líquidas, que utilizam um filme preenchido por líquido que responde a estímulos elétricos, substituindo as lentes tradicionais para conferir maiores versatilidade e velocidade à distância focal e ao próprio foco do sensor. A novidade permite que a mesma câmera, de 8 MP no caso, atue como telefoto e macro, oferecendo zoom óptico de 3x e combinado de 30x.



O conjunto conta ainda com sensor principal de 108 MP com sensor Samsung ISOCELL HM2, presente nos principais lançamentos do momento, acompanhado de lentes 7P e tecnologia que combina nove pixels em um para maior captação de luz. Não há estabilização óptica, no entanto. Fecham as especificações de câmera um sensor ultrawide de 13 MP com campo de visão de 123º.

Outra grande novidade é o processador de sinal de imagem (ISP) Xiaomi Surge C1, mais novo chip desenvolvido pela própria gigante chinesa. O Surge C1 acompanha o Hexagon do Snapdragon 888 para processar, com um algoritmo próprio, funções como foco automático, balanço de branco e exposição, além de oferecer melhor controle da nova lente líquida e maior eficiência energética.


O dobrável da Xiaomi passa à frente dos rivais ao oferecer bateria generosa de 5.020 mAh - Galaxy Z Fold 2 e Mate X2 são limitados a 4.500 mAh. O Mi Mix Fold também não faz feio em questão de carregamento e oferece o mesmo sistema adotado pelos irmãos da linha Mi 11, com carregamento rápido de 67 W para recarga completa em 37 minutos. Não há sistema de carregamento sem fio, no entanto.


O Xiaomi Mi Mix Fold também se destaca nos recursos extras, trazendo de volta a parceria com a Harman Kardon vista no Mi 11 na forma de um sistema de quatro speakers otimizados pela renomada companhia de áudio.

O conjunto, inédito em smartphones, promete som até 40% mais alto que o oferecido pelo Mi 10 Pro e conta com algoritmo de áudio 3D desenvolvido pela própria Xiaomi. Há também o chamado One Click Stealth, que com o apertar de um botão bloqueia o sinal de GPS e outros recursos focando na privacidade do usuário.


No mais, temos suporte a Wi-Fi 6E, Bluetooth 5.2, conexão 5G, NFC, tela dividida que tira proveito da tela maior, modo desktop com menu "iniciar" similar ao presente no Windows, motor de vibração linear no eixo X e leitor de digitais embutido ao botão de energia.

O Xiaomi Mi Mix entra em pré-venda na China nesta terça-feira (30), com as primeiras unidades sendo enviadas aos compradores a partir de 16 de abril. O combo de 12 GB/256 GB será vendido a 9.999 yuan (algo em torno de R$ 8.770, em conversão direta), enquanto a versão de 12 GB/512 GB sai por 10.999 yuan (cerca de R$ 9.647) e a variante mais completa de 16 GB/512 GB custa 12.999 yuan (cerca de R$ 11.409). Ainda não se sabe se o aparelho chegará ao mercado global futuramente, ou se seguirá a estratégia do Mi 11 Pro como uma exclusividade do mercado chinês.


Fonte: Canal Tech

0 comentário